Autora: Alexandra Tereso


Livro | Tereso, A. (2016). “Quotidianos Contemporâneos que Medeiam o Início da Vida: Conceitos, Realidades e Desafios”. In T. Rebelo, I. Ferraz, M. Quaresma, O. Fernandes & G. Carneiro (Eds.), Quando o Silêncio se Faz Fala: a Escuta na Aprendizagem do Cuidado de Enfermagem (41-56). Loures, Portugal: Lusodidata.


 

Tema: Assistência ao Nascimento/Cuidados perinatais
Resumo: A pertinência de reflectir sobre as várias dimensões que permeiam o início da vida emerge num contexto social em mutação no qual se desenrola a práxis do enfermeiro obstetra. Perante a vastidão de um território que tem tanto de fascinante como de complexo, impôs-se o mapeamento e a selecção dos problemas a abordar. Arriscando uma abordagem redutora e por isso criticável, optou-se por uma selecção pessoal que teve em consideração as coordenadas dominantes de uma área onde se cruzam quotidianos e experiências de cuidadores e de cuidados e onde cada silêncio pode ser o prenúncio de um grito que dá voz à dor, à felicidade ou até a um “início” de vida. Tendo como ponto de partida as limitações referidas, a escolha realizada destacará três áreas temáticas: – O contexto “contraditório” da sexualidade contemporânea no qual se revelam as proximidades e os distanciamentos entre a saúde sexual e a saúde reprodutiva em Portugal. – Os trilhos conceptuais do parto: a medicalização, a humanização, a naturalização, a mamiferização e a colonização. – Itinerários entre o “instinto” maternal, a homoconjugalidade e a homoparentalidade.


Consultar: https://repositorio.iscte-iul.pt/handle/10071/16165